Inicialmente importa saber que comércio eletrônico é uma das ferramentas virtuais mais difundidas nos últimos anos.

O setor de vendas vem acompanhando as evoluções presentes na sociedade, e uma delas é certamente a utilização dos meios digitais como forma de aproximar o público e alcançar metas maiores de vendas.

Para isso, além de práticas de marketing e outros meios, é utilizado por lojistas e vendedores em geral o chamado e-commerce.

Um e-commerce é uma plataforma digital que funciona como uma loja online integrada, onde o cliente consegue fazer a sua compra com todo o suporte necessário e ao mesmo tempo o vendedor consegue monitorar e acompanhar toda a movimentação do seu negócio.

Abaixo vamos entender um pouco mais acerca do tema. Veja a seguir!

O QUE É COMÉRCIO ELETRÔNICO

Muitas pessoas desconhecem, mas a utilização do comércio por meio eletrônico teve início na década de 1979 quando o inventor inglês Michael Aldrich utilizou uma televisão de 26’ e a personalizou como um computador doméstico efetuando transações através de uma linha telefônica.

Desde a sua criação, o comércio eletrônico evoluiu e tem interferido diretamente na economia mundial, representando um campo de atuação em constante crescimento, apto para receber novos profissionais atualizados e antenados com a tecnologia sempre em desenvolvimento.

De modo geral pode-se trazer cerca de 38 formas de fazer comércio por meio eletrônico, divididas em três diferentes categorias classificando os tipos de negócio realizados e os principais agentes.

Assim, temos o comércio B2B: Sigla utilizada para a expressão em inglês Business to Business, de empresas para empresas, o comércio C2C, de pessoa para pessoa, e o comércio B2C, de empresas para o consumidor final.

O conhecimento dessas definições é importante para possibilitar uma definição do tipo de comércio eletrônico que uma empresa irá gerenciar, e as possíveis estratégias a serem tratadas com o objetivo de difundir e expandir o negócio.

ESTRUTURA DE UM E-COMMERCE

Como dissemos anteriormente, surgido na década de 1970, o comércio eletrônico ou e-commerce como é mais conhecido, foi se tornando cada vez mais relevante ao passo que a internet e os computadores foram se popularizando.

Atualmente a maioria dos empreendedores, desde os pequenos lojistas até grandes multinacionais, optam por desenvolver uma plataforma virtual de comercialização dos seus produtos e serviços.

O comércio eletrônico é a realização de toda a cadeia de valor dos processos de negócio num ambiente eletrônico, por meio da aplicação intensa das tecnologias de comunicação e de informação, atendendo aos objetivos de negócio.

Ou seja, não se trata apenas de compras e vendas por meio de sites, tampouco sendo limitada pela internet.

O comércio eletrônico pode então ser pensado como o uso das inovações tecnológicas para a expansão do comércio, utilizando inicialmente o rápido crescimento no uso de computadores pessoais e a consequente popularização da internet discada e de banda larga, progredindo para os smartphones e as redes móveis dos dias de hoje.

As aplicações do comércio eletrônico só se tornam possíveis a partir de uma base de infraestrutura necessária para que o processo ocorra de forma efetiva.

Assim, listamos abaixo alguns pontos que fazem parte dessa infraestrutura e são indispensáveis para qualquer e-commerce nos dias de hoje.

INFRAESTRUTURA PAR UM E-COMMERCE

Bem, primeiro é preciso cuidado com a “vitrine” da sua loja, ou seja, a forma como o produto é exibido para o cliente, tendo cuidado com a experiência que este terá ao interagir com a plataforma.

Um layout limpo, atraente, responsivo e um servidor eficiente são fundamentais para aumentar a taxa de conversão das suas vendas.

Além disso, é preciso trabalhar de forma eficiente na otimização para SEO e procurar um servidor que disponibilize backups de qualidade.

Imagine perder os seus dados por algum problema no sistema! O backup garante a segurança dos seus dados e a sua tranquilidade quanto a isso.

            Assim também, observe pontos como:

  • Formas de pagamento;
  • Opções de cancelamento de compra;
  • Formas de envio;
  • Ferramentas de marketing;
  • Certificado de Segurança SSL;
  • Estabilidade da plataforma;
  • Suporte 24h;
  • Opções de migração, entre outras.

É claro que a depender do tipo de e-commerce algumas plataformas irão atender de forma mais precisa do que outras, mas de modo geral esses são alguns pontos indispensáveis para qualquer ambiente virtual destinado ao comércio eletrônico no mercado.

EXEMPLOS DE COMÉRCIO ELETRÔNICO

1. AMERICANAS

Loja virtual de varejo que comercializa produtos diversos, com foco principal em móveis e eletrodomésticos. Um dos pontos que chamam a atenção da marca é a plataforma do site, com fácil navegação e as opções que o cliente tem na compra e entrega.

2. Lojas Renner

Assim como a primeira, é uma empresa conhecida em todo o país e trabalha com varejo de roupas e produtos relacionados. O ambiente virtual da loja é bem limpo e o suporte muito bem estruturado.

3. MAGAZINE LUIZA

A Magazine Luiza também ganhou seu espaço ao longo dos anos com venda de varejo, nos mesmos padrões das lojas Americanas. Um diferencial da empresa é a inovação. Estão sempre buscando novas funcionalidades para a loja. A exemplo podemos citar o MagaLu, o robô de atendimento que é um sucesso. Além da plataforma de marketplace, onde o usuário pode se tornar parceiro da loja.

5 MERCADO LIVRE

Uma plataforma de comércio C2C, onde o usuário pessoa física, posta seu produto novo ou usado para venda. A plataforma disponibiliza método próprio de pagamento e entrega e entre outras vantagens que fazem da plataforma uma das mais procuradas para esse tipo de negociação.

Esses são alguns exemplos de empresas que apostaram e investiram forte em e-commerce e hoje se encontram nos primeiros lugares nas buscas por produtos na internet.

POR QUE OPTAR POR UMA LOJA VIRTUAL?

Em primeiro lugar, ainda que acima tenhamos trazido apenas exemplos de grandes lojas de varejo o e-commerce é indicado para qualquer tipo de empresa.

Então, se você possui uma padaria na sua cidade e quer expandir o alcance das suas vendas, oferecendo opções como entrega delivery, por exemplo, pode optar por uma loja virtual mais simples, direcionada para a sua região e para o seu público alvo.

Essa é a grande sacada, saber trabalhar as necessidades do seu público.

Mas, vamos falar em vantagens!

O primeiro ponto já foi citado, mas vamos repetir, o alcance. A internet é um meio de acesso e alcance rápido.

Com um ambiente virtual bem estruturado e uma campanha otimizada de marketing digital as suas vendas vão aumentar significativamente.

Sistema de gestão integrado. A maioria das plataformas para o desenvolvimento de e-commerce atualmente disponibilizam ambientes onde é possível fazer controle de estoque, entradas e saídas, pagamentos e outras necessidades que um comércio precisa ter para um bom desempenho.

É possível acompanhar através dos dados como está sendo a evolução das suas vendas, quais produtos estão em maior evidência e vendem mais.

Para pessoas que vendem como autônomos o e-commerce também pode ser uma opção muito prática.

Não há a necessidade de manter um estoque, os custos de implantação são relativamente menores do que abrir um comércio físico, o ambiente estará aberto e disponível 24 horas e ainda possui uma expectativa de crescimento ao longo do tempo.

Enfim, como podemos perceber, investir em e-commerce é mais simples do que parece e pode trazer muito mais vantagens do que imagina.

Monte a sua loja virtual. Entre em contato com a nossa equipe e veja as vantagens que temos para você.    

Share This